Notícias

Compartilhe

Facebook Tiwitter Google + i


Audiência Pública discute reforma do Teatro Municipal de Alfenas

por Ascom Última modificação em 29/06/2018 | 11h 6min |

Teatro Municipal de Alfenas passará por reformas

A Prefeitura Municipal de Alfenas, por meio da Secretaria de Educação e Cultura, promoveu no dia 21 de junho, na Câmara Municipal de Alfenas, uma audiência pública para apresentação e discussão do Projeto de Reforma do Teatro Municipal de Alfenas.

A Superintendente de Projetos da Prefeitura, engenheira arquiteta Lilian Mara de Castro Azevedo fez a exposição do projeto inicial de reforma e as adequações que serão feitas no teatro.

Na reforma serão executados os serviços de adequação para garantias de acessibilidade, com a instalação de um elevador e adequação dos banheiros, das rotas de fuga como entrada e saída, além das reformas do piso, palco, camarins, parte elétrica, troca de cadeiras por novas mais modernas e adaptadas e instalação de ar condicionado.

Secretários e dirigentes de órgãos da administração pública que estiveram presentes à sessão receberam sugestões e esclareceram dúvidas de vereadores e da plenária O objetivo da reforma e melhorias no local é promover a inclusão cultural no espaço público.

As obras vão custar ao todo, R$ 1.094.242,86, sendo R$ 911.877,39 provenientes de emenda parlamentar e o restante de R$ 182.375,47, ou seja, 20% do total contrapartida do município.

O teatro de Alfenas foi inaugurado em 1977 e em 92 um incêndio danificou o prédio. Em maio de 2005 recebeu a primeira reforma em todos esses anos, com troca do carpete por taco, construção de uma porta de emergência e instalação de um sistema de iluminação profissional. O teatro tem capacidade para 200 pessoas sentadas.

Segundo Lilian Mara Castro Azevedo, o prazo de execução da obra é de 6 meses, porém a data de início depende de aprovação do projeto pela Caixa Econômica Federal e da licitação, que só pode ocorrer após essa aprovação. Após a audiência do último dia 21, estamos trabalhando no projeto para adequação ao que foi proposto, para posterior encaminhamento à Caixa Econômica Federal, esclarece a arquiteta.

Para o superintende de Cultura Guilherme Abraão essas adequações vão fortalecer ainda mais as ações culturais e garantir a democratização do espaço.